Sexta-feira, 27 de Abril de 2007

Serenidade

Hoje, ao atravessar o Tejo, olhei o Rio, mais uma vez…

Mas hoje estava diferente. Pelos menos aos meus olhos. 

Estava sereno como um lago, quase como uma pista glaciar. 

Mas de frio não tinha nada…O sol reflectido quente no seu poente, brilhava naquelas aguas, encadeando-me… 

Seus raios virados para Lisboa, no seu perfil desalinhado, transformavam a minha cidade encantadora, enternecedora…

Transformavam esse desalinhamento perfeito e de sentimentos variados na sua construção antagónica, onde o tempo vai passando e vai alimentando, compondo e fixando a sua eternidade, a sua beldade… 

Hoje, senti-me como o Tejo, como o sol nele espelhado, e vivi como a Cidade que permanece…que não esquece, que se enternece…

publicado por Susana Ber. expressar às 23:48
link do post | comentar | favorito
 O que é? |

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Vida tão curta...

. Amar

. Emoções que comandam

. Vidas...

. Carta a minha Mae

. Esquecida...

. Anjo

. ...

. Eternidade...aquilo que s...

. Aceitação...Entrega...

.arquivos

. Março 2011

. Setembro 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Março 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Março 2009

. Abril 2008

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

.tags

. todas as tags

.favoritos

. Desabafo da Alma

. Os Quatro Elementos

blogs SAPO

.subscrever feeds